Faculdade de Ciências Médicas

faculdade ciencias medicas

Em funcionamento desde 15 de Novembro de 1977 como Unidade Orgânica da Universidade Nova de Lisboa, a Faculdade de Ciências Médicas assenta num modelo diferente das outras faculdades de medicina portuguesas: possui uma Sede independente, onde se situam grande parte das unidades de ensino e de investigação responsáveis pelo 1º Ciclo do Mestrado Integrado, as estruturas de apoio ao ensino pós-graduado e à investigação, a direcção da Faculdade, a biblioteca/centro de documentação, a cantina e as repartições administrativas.

Faz também parte do Edifício Sede, uma zona nobre com várias obras de arte (pinturas, azulejos e esculturas), que são um património não só artístico, mas de grande valor histórico para a Medicina Portuguesa.


O ensino clínico decorre em várias Instituições de Saúde articuladas com a Faculdade através de protocolos sancionados pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior: Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE (que engloba os Hospitais de D. Estefânia, St.º António dos Capuchos, Stª Marta, S. José, Curry Cabral e Maternidade Alfredo da Costa), Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, EPE (que engloba os Hospitais de Egas Moniz, S. Francisco Xavier, e Santa Cruz), Hospital Pulido Valente EPE, Instituto Português de Oncologia - Centro Regional de Oncologia de Lisboa EPE, Hospital Fernando Fonseca, Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo e Administração Regional de Saúde do Alentejo. Existem ainda protocolos de articulação com as seguintes instituições: a Academia Militar, a Fundação de Nossa Senhora do Bom Sucesso e o Instituto Nacional de Emergência Médica.

Este modelo de articulação tem possibilitado à Faculdade uma maior flexibilidade na resposta a alguns dos desafios que se colocam, nomeadamente através de:



a) Reformulação do plano de estudos, com maior integração do ensino das especialidades, nos vários anos do ciclo clínico;



b) Introdução, em disciplinas do ciclo básico e pré-clínico, de inovações pedagógicas, como a aprendizagem por problemas;



c) Criação de vários cursos de mestrado e doutoramento, não só em áreas biomédicas, mas também nos domínios da saúde pública e da saúde mental;



d) Expansão dos cursos de pós-graduação e das acções de formação continuada, no apoio à especialização médica;



e) Apoio à investigação biomédica com ênfase para projectos de ligação entre as ciências básicas e as clínicas.




Este modelo tem facultado aos alunos da Faculdade de Ciências Médicas uma formação científica adequada e uma preparação clínica diversificada e satisfatória, a julgar pelos resultados do exame de acesso às especialidades, realizado pelo Ministério da Saúde, onde têm conseguido bons resultados a nível nacional.

Bernardo Pessoa

O site www.CursodeMedicina.com criado por Bernardo Pessoa para ajudar todos os colegas e futuros médicos